You are currently browsing the category archive for the ‘Hype’ category.

Sei que não pode ser hype porque o jogo já foi lançado. Mas eu só vou poder comprá-lo em junho, então pra mim ainda tá no hype 😛

Quero pegar 2 dos principais diretores de Western da história do Cinema e sugerir um filme de cada, principalmente pra galera fã desse gênero mas que não conhece muito bem. E também pra quem estava esperando um jogo como Red Dead Redemption com a mesma vontade que eu, fã bitolado de western, fã de jogos complexos, e fã da Rockstar. Faça como eu e entre no clima de RDR com clássicos do Western! Vamo lá:

John Ford

John Ford é um diretor que quase só fez westerns, e um dos caras que mais fez filmes no mundo. John Ford dirigiu pelo menos 140 filmes. Acredite, isso é COISA PRA CACETE. Hollywood estava começando a se formar como indústria, que nas próximas décadas, exigiria dos diretores uma produção quase em escala de filmes. John Ford, como um dos principais da época, não dirigia menos que 3 filmes por ano.

Depois de algum tempo, os produtores perceberam que valia mais a pena investir num grande filme de qualidade e mais caro do que em 50 filmes produzidos em escala. A partir daí, John Ford fez seus maiores clássicos, a maioria westerns. Existem filmes como O Homem que matou o fascínora que são exemplos de filmes nos quais Ford ao mesmo tempo conta uma história sensacional, mas minimalista. Mas pra quem está conhecendo, sem dúvida deve começar com Rastros de Ódio, um dos maiores clássicos não só do western, mas de todo o cinema americano. Esse sim é um filme grandioso, épico tanto na história quanto na ambientação. Te joga totalmente no universo do western clássico, que pode parecer meio caretão, mas é muito bem narrado!

Sergio Leone

Esse é um diretor italiano que por algum motivo (provavelmente a paixão pelos filmes de John Ford), se apaixonou pelo gênero do faroeste, e começou a fazer filmes com essa temática. Graças a ele, principalmente, foi cunhado o termo “spaguetti western”, ou seja, filmes de faroeste dirigidos por italianoa. Apesar de parecer pejorativo, o apelido foi dado porque de fato o estilo era diferente dos westerns de John Ford e outros diretores clássicos.

Sergio Leone revolucionou o gênero, trazendo novas camadas pras histórias, cheias de ironia, mais agressivas e mais violentas. Os filmes de Sergio Leone geralmente tratam da decadência da sociedade daquele ambiente, nos tempos próximos a modernidade, da chegada das ferrovias e da corrida do ouro. Os protagonistas também costumam ser mais misteriosos e menos perfeitinhos ou heróicos. Não dá pra deixar de falar também das músicas de Ennio Morricone, um dos maiores compositores da história do cinema, que inventou um estilo para a temática do faroeste, que é reconhecida até hoje mesmo pra quem não é familiarizado com os filmes. Quem não conhece:

Resumindo:

Voltando ao assunto. O filme mais conhecido de Leone é Três homens em conflito (The good, the bad and the ugly), um filme sensacional sobre as guerras civis e a corrida do ouro do velho oeste. É um dos filmes, de tantos outros, que ele fez com Clint Eastwood. Quem tiver saco e tempo, tem que ver esse filme. Mas existe um que você tem que ver mesmo se não tiver nem saco nem tempo, e ele se chama Era uma Vez no Oeste. È um filme que obedece todas as “fórmulas” do western, mas que ao mesmo tempo quebra paradigmas com sua história emocionante, personagens tremendamente profundos, trilha sonora perfeita (também de Morricone), e recursos estéticos que jamias se pensou usar nesse gênero. É um filme extremamente poético. E consegue fazer isso em meio a tiroteios, duelos, mortes e roubos. Simplesmente imperdível, é sem dúvida um dos meus filmes preferidos e um dos poucos que me fez chorar no final (não querendo dar uma de machão, mas não é qualquer titanic que me faz chorar, tem que ser uma história única).

Bônus: Clint Eastwood

Clint Eastwood, que era ator de faroeste e hoje é um diretor filhadaputamente talentoso, também fez sua homenagem ao gênero em 1992. Quem duvidava que, depois do fim do sucesso dos filmes de faroeste, pudesse surgir uma nova obra prima do gênero, não contava com a astúcia de Clint Eastwood. O filme é tão bom que, mesmo tendo sido feito décadas depois da onda de westerns, costuma sempre entrar em listas de melhores westerns já feitos, e sem dúvida é um filme impressionante.

Anúncios

Dicas? Não exatamente dicas, porque não sou nenhum mestre dos videogames para ensinar alguém a jogar. Mas Heavy Rain é um caso diferente, e essas dicas são mais uma brincadeira com a interatividade do jogo, que promete ser a mais acentuada que os videogames já viram (e espero muito que seja!).

O que me fascinou e ao mesmo tempo me apavorou em Heavy Rain é o fato de que a morte dos protagonistas controlados pelo jogador não causam o reinício do jogo desde o último checkpoint. A morte é, na verdade, incorporada à história. Portanto, cada ação carrega um peso muito maior, e talvez se você for afobado o suficiente, pode terminar com seus 4 personagens mortos em meia hora de jogo.

Aw shit, como fazer para isso não acontecer? Bom, além de pensar muito bem nas suas atitudes, você deve saber como um protagonista deve agir e em quem confiar. Numa situação como o assalto deste trailer, em que você tem diferentes maneiras de parar o bandido, o que manda é o instinto e o bom senso. Mas durante a trama, provavelmente surgirao situações nas quais poderemos nos aproveitar de pequenas “regras” que costumam ser usadas na maioria dos roteiros de filmes e jogos:

Comportamento Único

A principal coisa que você deve observar no seu personagem, é o que torna ele único, do ponto de vista da personalidade. Luke Skywalker, por exemplo, tem como característica única a crise de identidade, os problemas que enfrenta por ser destinado a enfrentar o pai e salvar a galáxia. Se o seu personagem em Heavy Rain for um bêbado inútil que não consegue criar o filho, o jogo provavelmente colocará você de encontro a situações onde o personagem deve enfrentar esse defeito.

Cada protagonista possui algo que o persegue durante a trama e que só será corrigido no final. Até lá, você deve tentar tomar atitudes que visem mudar a situação. O que significa que se você encher a cara com seu personagem em HR, provavelmente vai dar merda.

Os Aliados

Esses são os personagens que não são protagonistas, mas que sempre os acompanham. O que seria de Sherlock Holmes sem Watson? Ou de Bruce Wayne, o Batman, sem o Robin ou seu mordomo Albert? Quase não existem personagens principais sem um bom companheiro. Ou pelo menos personagens que conhecem alguém (ou alguéns) no meio da história e que decidem ajudá-lo.

Esses amiguinhos tem como missão te convencer a fazer a coisa certa: mudar sua personalidade perturbada e os erros que insiste em cometer. Me parece que uma das personagens de Heavy Rain é uma jornalista gostosa que faz o que muitas jornalistas gostosas fazem: correm atrás da notícia usando o corpo como isca. Pode apostar que na história haverá alguém que te aconselha a não exagerar nesse método, pois é exatamente isso que a sua personagem tem de extraordinário. É o que vai te meter em confusão.

Os aliados estão lá para te socorrer quando parece que você está indo para o buraco. O problema é que em muitas histórias esses aliados não são muito claros. Os vilões podem parecer amigos e os amigos podem te dar um soco na cara. Mas, no fundo, o verdadeiro é aquele que quer que você mude, mesmo que isso cause separações e brigas.

Os Perversos

Quem nunca conheceu um bom FDP? Perversamente, não estão nem aí para você ser um bêbado com problemas na família. São os vilões, desde os clássicos como Darth Vader (Hail!) até inimigos mais sutis, como em muitos filmes mais minimalistas, onde o principal “inimigo” do protagonista pode ser o pai ou a mãe, que não o deixam sair de seu mundo e mudar de comportamento.

Quando um vilão entra em cena, é para colocar em cheque todas as fraquezas do protagonista. Se ele conseguir superá-las, provavelmente tudo terminará bem. Mas se não conseguir…

Você provavelmente vai enfrentar vários adversários assim durante o jogo. Alguns são menos importantes que outros. Mas toda história tem um oponente principal, que vai enfrentar o protagonista no final, e definir se ele consegue mudar ou não. E se o fim da história vai ser bom ou ruim.

Em Heavy Rain, tudo depende de você. (Ou assim nós esperamos. Até 23 de Fevereiro!)